Copyright © 1998-2001 MV Portal de Cifras  
 
                                                                  
Esta página é parte integrante de MV Portal de Cifras (http://www.mvhp.com.br)
Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

Coração Em Chama
Tom: Gm
Intro: Gm Cm Am D7 Gm
  
Gm               Am7/5b D7 Gm
Por quê eu vivo triste agora
               Am7/5b D7  Gm
Pergunto ao coração que chora
             Cm         F7
Se tenho um grande amor
                 Bb
Então por quê sofrer
                E7
Pra quê me perguntar
A7       D7     D7/9#
Devia compreender
Gm                     Eb7
Talvez venha a ser infeliz
        D7      Gm
Todo aquele que ama
            Am7/5b D7  Gm  Am D7
Pois tem o coração em chama
Gm                     Eb7
Talvez venha a ser infeliz
        D7      Gm
Todo aquele que ama
            Am7/5b D7  Gm  D7/5+ D7
Pois tem o coração em chama
   
Gm       Gm/F      Am7/5b
Muito embora amando tanto
         D7       Gm
Vivo derramando lágrimas
Fm7/5b G7  Cm
Oh! meu pranto
Em7/5b A7  D7
Chegue ao fim
      Gm               Ab
Não tente apagar essa chama
Eb     Am        D7       Gm
Desse amor que existe em mim
Rolou
Tom:G
   
  Gm     F7     Eb7 
Rolou, rolou 
                          D7  G7  Cm 
Em meu rosto uma lágrima de dor 
              F7             Bb 
Em meu peito uma fonte de tristeza 
Eb7                     D7 
De repente em meu coração brotou 
(Rolou) 
    Gm    F7   Eb7 
Rolou, rolou 
                          D7  G7  Cm 
Como orvalho na pétala de flor 
              F7                  Bb 
Como um rio engrossando a correnteza 
Eb7                          D7 
Como as águas do mar com seu furor 
Gm       F7 
Morreu, morreu 
Eb7      D7         G7 
Morreu o amor 
    Cm               F7                Bb 
Porém como a flor vem da vida além da morte 
                        Eb7 
O amor possui a mesma sorte 
                      D7    G7 
Prossegue até o fim da dor 
 Cm                          F7         Bb 
E assim como o resto da flor depois do corte 
                         Eb7 
O amor brota muito mais forte 
                        D7 
No mesmo chão onde tombou 

 

Sempre Mangueira
Tom: B


   B           F#7          B   F#7  
Ôôôô, foi mangueira que chegou (bis)
C#m        F#7    B   C#m       F#7   B
Mangueira é celeiro, de bambas como e
A#7           D#m   A#7            D#m   B7
Portela também teve, o Paulo que morreu
E        Fo       B       G#m    C#m  F#7  B        B7
Mas o sambista vive eternamente, no coração da gente (bis)

     C#m                     F#7
Os versos de Mangueira são modestos
                            B
Mas há sempre força de expressão
G#                    C#m
Nossos barracos são castelos
C#7            F#7
Em nossa imaginação

Ôôôô, foi Mangueira que chegou...
Coisa da Antiga
Tom: E
Intro: E,C#7,F#M,B7,E,B7
E       C#m          F#m
Na tina, vovó lavou, vovó lavou
  B7                                    E
A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada
B7   E                C#m             F#m
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
B7                                 E
Muita fumaça e calor no ferro de engomar
B7 E           C#7       F#
Hoje mamãe me falou de vovó só de vovó
B7                      E          B7
Disse que no tempo dela era bem melhor
                  C#7                  F#
Mesmo agachada na tina e soprando no ferro de carvão
B7                       E             B7
Tinha-se mais amizade e mais consideração
                   C#7                   F#
Disse que naquele tempo a palafra de um mero cidadão
 B7                             E          B7
Valia mais que hoje em dia uma nota de milhão
 E                     C#7
Disse afinal que o que é de verdade
     F#
Ninguém mais hoje liga
          A  B7    E           B7
Isso é coisa da antiga, ai no tina...
  E              C#7                 F#
Hoje o olhar de mamãe marejou só marejou
  B7                          E        B7
Quando se lembrou do velho, o meu bisavô
 E                   C#7                  F#
Disse que ele foi escravo mas não se entregou à escravidão
 B7                          E         B7
Sempre vivia fugindo e arrumando confusão
E                         C#7            F#
Disse pra mim que essa história do meu bisavô, negro fujão
 B7                               E          B7
Devia servir de exemplo a \"esses nego pai João\"
E                      C#7
Disse afinal que o que é de verdade
     F#
Ninguém mais hoje liga
       A      B7   E
Isso é coisa da antiga
 B7
Oi na tina...
Enviada por André Batista da Silva

 

O Mar Serenou
Tom: D
Intro: D
 
          D                 B7       Em 
O mar serenou, quando ela pisou, na areia,
                       A7       D          A7
Quem samba na beira do mar, é sereia (2x)
A7                 D
O pescador não tem medo
             B7
É segredo se volta ou se fica 
   Em                              A7 
No fundo do mar, ao ver a morena bonita
                                   D                    A7
Sambando se explica que não vai pescar, Deixa o mar serenar
 
  A7              D
A lua brilhava vaidosa
          B7
De si orgulhosa e prosa
        Em                               A7
Com que Deus lhe deu, ao ver a morena sambando
                                 D               A7 
Foi-se acabrunhando, então adormeceu, o sol apareceu
   A7
Um frio danado
             D       B7
Que vinha de lado, gelado
               Em                                 A7
Que o povo até se intimidou, Morena aceitou o desafio
                              D                       A7
Sambou e o frio, sentiu seu calor, e o samba se esquentou
    A7                    D
A estrela que estava escondida 
              B7 
sentiu-se atraída
             Em                             A7
depois então apareceu, Mas ficou tão enternecida
                                 D                    A7
Ingadou a si mesma, a estrela afinal, será ela ou sou eu ?
Enviada por André Batista da Silva
Bafo De Boca
Tom: C
C7                 G7                       C7
Para de beber, compadre Meu compadre deixa disso
                       G7                       C7
Larga essa mulher de lado Lembra do teu compromisso    
          Dm7            G7    C7                    Dm7
Mas veja só que malandro que tu és Entrou num artigo dez
          G7           C7
Por causa de dois mil réis, compadre
Dm7                  G7       C7
Minha comadre já tá ficando louca
                     Dm7            G7      C7
Com esse teu bafo de boca Boa coisa não vai dar
         Dm7        G7        C7                      Dm7
E a tal mulher que anda nos cabarés Mas essa não paga dez
          G7       C7
Só vive trocando os pés, compadre
        Dm7                G7       C7
Minha comadre diz que a desgraça é pouca
                  Dm7                  G7  C7
mas estás marcando touca E o pau ainda vai rolar
Meu Sofrer
Tom: D
		
Bm        B7/Eb
Meu sofrer
Em         Em/D
Não tem fim
C#m7/5- F#7
Oh! Meu Deus
      Bm          F#7
Tenha pena de mim
   Bm              Bm/A               Em
Eu vivo no mundo penando como um condenado
   C#m7/5-         G7                 F#7
Talvez eu esteja pagando meu grande pecado
   Bm      B7/Eb
De um amor
Em       Em/D
Eu zombei
C#m7/5- G7         F#7
Peço perdão ao meu Deus
Bm
Errei (2x)
Em             Em/D                C#m7/5- F#7
Eu que vivia sorrindo, zombando da dor
Bm               Bm/A             Bm
Julgava ser insensível ao mal do amor
Em      Em/D      C#m7/5- F#7
Hoje também amo alguém
Bm                Bm/A
Que não me tem amizade
G7
Surge mais um sofredor
           C#m7/5- F#7
Eis a realidade
Meu sofrer...
Jogo de Angola
Tom: B
		 G#m                                       C#m
No tempo em que o negro chegava fechado em gaiola,
           D#7                      G#m                      G#m    D#7        G#m
Nasceu no Brasil, Quilombo e quilombola, E todo dia, negro fugia, juntando a corriola.
  G#m                   D#7                G#m
De estalo de açoite de ponta de faca, E zunido de bala,
  F#               C#m       C#m  D#7         D#7    G#m
Negro voltava pra argola,         No     meio da    semzala.
  G#m                 D#7                 G#m
E ao som do tambor primitivo Berimbau maraca e viola,
  G#m       F#         C#m      D#7       G#m
Negro gritava   Abre ala   Vai ter jogo de Angola.
         C#m                 D#7             G#m
Perna de briga, ( Camara...) Perna de briga, Olê...
         C#m                 D#7               G#m
Ferro de fura, ( Camara...) Ferro de fura, Olê...
         C#m                D#7            G#m         C#m
Arma de atira, ( Camara...) Arma de atira,    Olê........ Olê..
  F#        B                        B7  Bb7  A7  Ab7
Dança guerreira, Corpo do negro é de mola,
  C#m                              F#
 Na capoeira. Negro embola e disembola
  G#m                                         C#m
E a dança que era uma dança para o dono da terra,
  G#m                                C#m                   G#m          C#m
Virou a principal defesa do negro na guerra, Pelo que se chamou libertação,
  G#m                      C#m
E por toda força coragem, rebeldia, Louvado será tudo dia
  G#m             D#7                 G#m             D#7     G#m
Esse povo cantar e lembrar o Jogo de Angola, Na escravidão do Brasil
Ê baiana 
Tom: D
Intro: D
D  D7    G      A7         D         A7
Ê.....baiana....ê ê ê...baiana...baianinha
D  D7    G      A7         D  
Ê.....baiana....ê ê ê...baiana
            D                   D
Baiana boa......gosta do samba
          A7                       D
Gosta da roda......e diz que é bamba
            D                   D
Baiana boa......gosta do samba
          A7                       D
Gosta da roda......e diz que é bamba
               A7                   D
Olha, toca a viola que ela quer sambar
              A7                   D
Ela gosta de samba...ela quer rebolar
               A7                   D
Olha, toca a viola que ela quer sambar
              A7                   D
Ela gosta de samba...ela quer rebolar..
Tristeza pé no chão
Tom: Ebm
 Ebm                     Bb7               Ebm
   Dei um aperto de saudade no meu tamborim
                   Eb7                Abm
Molhei o pano da cuíca com as minhas lágrimas
                   B           Bb7   Ebm       Ebm7   B
Dei meu tempo de espera para a marcação e cantei
                   Bb7              Ebm    Eb7
A minha vida na avenida sem empolgação
Abm     Ebm
Vai manter a tradição
B                 Bb7          Ebm
Vai meu bloco tristeza, pé no chão
           Bb7                  Ebm
Fiz o estandarte com as minhas lágrimas
             Eb7               Abm
Usei como destaque a tua falsidade
             B             Bb7      Ebm    Ebm7   B
Do nosso desacerto fiz meu samba enredo
                      Bb7                Ebm
Do velho som da minha surda dividi meus versos
                     Bb7                Ebm
Nas platinelas do pandeiro coloquei surdina
                   Eb7                 Abm
Marquei o último ensaio em qualquer esquina
                    B           Bb7    Ebm    Ebm7   B
Manchei o verde esperança da nossa bandeira
                    Bb7               Ebm
Marquei o dia do desfile para quarta-feira

 

Você Passa e Eu Acho Graça
Tom: Am

   (baixaria) Dm E7 Am               F7        E7         A7 (pausa)
e|----------------------------------------------------------
B|----------------------------------------------------------
G|----------------------------------------------------------
D|--------2/0-3--2-----------------2-3---------2----------2-
A|-0-2-4-5----------5-3-2------3-5-------2-3-5------2-5-2---
E|------------------------5---------------------------------
   (baixaria) Dm E7 Am               F7        E7         Am
e|----------------------------------------------------------
B|----------------------------------------------------------
G|----------------------------------------------------------
D|--------2/0-3--2-----------------2-3---------2------------
A|-0-2-4-5----------5-3-2------3-5-------2-3-5------2-5-2---
E|------------------------5-------------------------------5-
( Am7 )
                   Dm
Quis você pra meu amor
    E7          Am7
E você não entendeu
                  Dm
Quis fazer você a flor
         E7            A7
De um jardim somente meu
                     A7
Quis lhe dar toda ternura
                    Dm
Que havia dentro de mim
               G7
Você foi a criatura
                       Am7
Que me fez tão triste assim
A7     Dm        E7             Am7
Ah! e agora você passa, eu acho graça
                F
Nessa vida tudo passa
    E7            Am7 A7
E você também passou
         Dm           E7         Am7
Entre as flores, você era a mais bela
              F
Minha rosa amarela
         E7             Am7
Que desfolhou, perdeu a cor
(intro)
( Am )
                    Dm
Tanta volta o mundo dá
      E7            Am7
Nesse mundo eu já rodei
                  Dm
Voltei ao mesmo lugar
        E7          A7
Onde um dia eu encontrei
                  A7
Minha musa, minha lira,
                  Dm
Minha doce inspiração
                  G7
Seu amor foi a mentira
                   Am7
Que quebrou meu violão
A7     Dm        E7             Am7
Ah! e agora você passa, eu acho graça
                F
Nessa vida tudo passa
    E7            Am7 A7
E você também passou
         Dm           E7         Am7
Entre as flores, você era a mais bela
              F
Minha rosa amarela
         E7             Am7
Que desfolhou, perdeu a cor
( Am )
                    Dm
Seu jogo é carta marcada
       E7              Am7
Me enganei, não sei porque
                     Dm
Sem saber que eu era nada
        E7        A7
Fiz meu tudo de você
                 A7
Pra você fui aventura
                  Dm
Você foi minha ilusão
                   G7
Nosso amor foi uma jura
                  Am7
Que morreu sem oração
A7     Dm        E7             Am7
Ah! e agora você passa, eu acho graça
                F
Nessa vida tudo passa
    E7            Am7 A7
E você também passou
         Dm           E7         Am7
Entre as flores, você era a mais bela
              F
Minha rosa amarela
         E7             Am7
Que desfolhou, perdeu a cor
Lama
Tom: Cm
Cm                           Dm5-7
Pelo curto tempo que você sumiu
G7                               Cm       G#7 G7
Nota-se aparentemente que você subiu
Cm                          Dm5-7
Mais o que eu soube a seu respeito
G7                  Cm
Entristeceu-me ouvi dizer
                     Dm5-7
Que pra subir você desceu
G7       Cm    G#7 G7
Você desceu
Cm                 Dm5-7
Todo mundo quer subir    (laraia)
G7                       Cm
A concepção da vida admite  (lalaraiaralaia)
Dm5-7                 G7
Ainda mais quando a subida ( laraia)
Cm                G7
Tem o céu como limite
Cm                      C7                      Fm
Por isso não adianta esta no mais alto degrau da fama
               Dm5-7            G7         Cm   G#7 G7 
Com a moral toda enterrada na lama
Enviada por arlindo do cavaco
Abrigo de Vagabundos
Tom: Gm 
Intro: Cm D7 Gm Cm D7 Gm Am5-/7 D7 Gm
  Gm      D7          Gm
Eu arranjei o meu dinheiro
       D7            Gm
Trabalhando o ano inteiro
          Eb
Numa cerâmica
      Am         D7                Am
Fabricando potes e lá no alto da Moóca
        D7           Am            D7             Gm
Eu comprei um lindo lote dez de frente e dez de fundos
       D7         Gm Eb7 D7
Construí minha maloca
      Gm                D7
Me disseram que sem planta
        Gm
Não se pode construir
           Dm5-/7        G7       Cm
Mas quem trabalha tudo pode conseguir
                  D7                Gm
João Saracura que é fiscal da Prefeitura
               Cm          D7          Gm
Foi um grande amigo, arranjou tudo pra mim
            Cm    D7         Gm
Por onde andará Joca e Matogrosso
               Cm
Aqueles dois amigos
          D7          Gm
Que não quis me acompanhar
           D7                   Gm
Andarão jogados na avenida São João
                   Cm   D7     Gm
Ou vendo o sol quadrado na detenção
G7      Cm             D7            Gm
Minha maloca, a mais linda que eu já vi
                Cm            D7     Gm
Hoje está legalizada ninguém pode demolir
 G7     Cm             D7  Gm
Minha maloca a mais deste mundo
                 Cm
Ofereço aos vagabundos
         D7         Gm
Que não têm onde dormir..

 

Basta Um Dia
Tom: G
Intro: G
     G  F#7         Bm   G
Pra mim    basta um dia
                D   A#o 
Não mais que um dia
        Bm  F#7  B7+
Um meio-dia
    G  F#7 Bm     G
Me dá      só um dia
          D  A#o   Bm   G#o   D  
Eu faço desatar a minha fantasia
   Bb A      Dm
Só um   belo dia
        Dm7+                  Dm7
Pois se jura, se esconjura, se ama
                   Dm6
E se tortura, se tritura
              D7/9-
Se atura e se cura a dor
      Gm    Bb  A7 Dm B7+
Na orgia da luz do    dia
G    F#7           Gm  G 
É só    o que eu pedia
        D         A#o       Bm  F#7
Um dia pra aplacar minha agonia
          B7   E
Toda a sangria
          G            F#7 Bm
Todo o veneno de um pequeno dia
   Bb A7      Dm
Só um   santo dia
        Dm7+                  Dm7
Pois se beija, se maltrata, se come
                Dm6
Se mata, se arremata, se acata
     D7/9-          Gm     Bb  A7  D B7
Se trata a dor na orgia da luz  do dia
  G F#7           Bm        G
É só  o que eu pedia, viu ?
        D         A#o       Bm  F#7
Um dia pra aplacar minha agonia
         B7  E
Toda sangria 
        G            F#7   Bm
Todo veneno de um pequeno dia..
Coração Leviano
Tom: A
Intro: Bm7 E7 A F#7 B7/9 E7 A E7
A          cº           A
Trama em segredo seus planos
            F#7   Bm7  F#7
Parte sem dizer adeus
      Bm                 E7
Nem lembra dos meus desenganos
 B7/9      E7
Fere quem tudo perdeu
Bm7    E7      A
Ah, coração leviano
     F#7        B7/9 E7 A  F#7
Não sabe o que fez do meu
Bm     E       A
Esse pobre navegante
F#            Bm    D7
Meu coração amante
                C#7
Enfrentou a tempestade
  F#m       E7           A7+
No mar da paixão e da loucura
F#7                B7/9
Fruto da minha aventura
                 E7
Em busca da felicidade
Bm      E7        A    D7
Ah, coração teu engano
                C#7
Foi esperar por um bem
  Bm7     E7     A
De um coração leviano
      F#7  B7/9 E7   A
Que nunca será de ninguém..

 

Palhaço
Tom: A
Intro: Bm C° C#m F#m7 B7/9 E Bb7/9
A                  G#7
Sei que é doloroso um palhaço
 A                   G7   F#7
Se afastar do palco por alguém
 Bm            E7         A
Volta, que a platéia te reclama
                 D#m  G#7
Sei que choras palhaço
                      C#7 Bm7 E7
Por alguém que não te ama
 A7+       Bm                C#m7 Bm7 E7
Enxuga os olhos e me dá um abraço
 A                  G7       F#7
Não te esqueças que és um palhaço
Bm      Bm A  G#m5-/7 C#7
Faça a platéia gargalhar
C#m7       C°    Bm    E7
Um palhaço não deve chorar..

 

Pau de Arara
Tom: Am
Intro: Am
Am                           E7
Quando eu vim do sertão seu moço
           Am
Do meu bodocó
A7    Dm7
Meu malote era um saco
  A7              Dm7
E o cadeado era o nó
                          G7
Só trazia a coragem e a cara
   C                  Am
Viajando num pau de arara
      F                Am
Eu penei, mas aqui cheguei (2x)
 G7
Trouxe o triângulo
 C
Trouxe o gonguê
 B7
Trouxe o zabumba
             E7
Dentro do matulê
 A7                 Dm7
Xote, maracatu e baião
    Am                         E7
Tudo isso eu trouxe no meu matulão..

 

Samba da Volta
Tom: Em
Intro: Am D6/7 G7+ C7+ F#m5-/7 B7 Em7 B7/9-
Em      B/D#      Dm6
Você voltou, meu amor
                 A/C#
A alegria que me deu
F#m5-/7   B7     Em7
Quando a porta abriu
         Em/D         F#7
Você me olhou, você sorriu
     B7                     Em7
Ah, você se derreteu e se atirou
     B/D#          Dm6
Me envolveu, me brincou
                   A/C#
Conferiu o que era seu
Am7  D6/7          C7+             F#m5-/7
É verdade, eu reconheço, eu tantas fiz
B7   Bm5-/7      E5+/7
Mas agora, tanto faz
Am7  D6/7  G7+      C7+          F#m5-/7
O perdão pediu seu preço, o meu amor
B7      Em7
Eu te amo e Deus é mais..
Tristeza pé no chão
Tom:Am 
Am                     E7               Am
   Dei um aperto de saudade no meu tamborim
                   A7                Dm
Molhei o pano da cuíca com as minhas lágrimas
                   F           E7   Am       Am7   F
Dei meu tempo de espera para a marcação e cantei
                   E7              Am    A7
A minha vida na avenida sem empolgação
Dm     Am
Vai manter a tradição
F                 E7          Am
Vai meu bloco tristeza, pé no chão
           E7                  Am
Fiz o estandarte com as minhas lágrimas
             A7               Dm
Usei como destaque a tua falsidade
             F             E7      Am    Am7   F
Do nosso desacerto fiz meu samba enredo
                      E7                Am
Do velho som da minha surda dividi meus versos
                     E7                Am
Nas platinelas do pandeiro coloquei surdina
                   A7                 Dm
Marquei o último ensaio em qualquer esquina
                    F           E7    Am    Am7   F
Manchei o verde esperança da nossa bandeira
                    E7               Am
Marquei o dia do desfile para quarta-feira
Menino Deus
Tom: F
   F                      E
Raiou, resplandeceu, iluminou
   F              Gm       C7      F
Na barra do dia o canto do galo ecoou
  A7               Dm        Dm7+     Dm7
A flor se abriu, a gota de orvalho brilhou
           G7
Quando a manhã surgiu
    C7
Nos dedos de Nosso Senhor
  Gm7  G#º  F/A           D7
A paz amanheceu sobre o país
    G7          C7      Am5-/7   D7
E o povo até pensou que já era feliz
           Gm7
Mas foi porque
    G#º  F/A       D7
Pra todo mundo pareceu
    G7       C7      F
Que o Menino Deus nasceu
              Dm7         G7/13 G7/5+  G7*
A tristeza se abraçou com a   felici...dade
C7                    F
Entoando cantos de alegria e liberdade
Dm7        G7          C7+  Dm7  Em7  Ebm7
Parecia um carnaval no meio da cidade
Dm7           G7         C7*          C5+/7
Que me deu vontade de cantar pro meu amor
Feira de mangaio
Tom: Am
Intro: Am E Am Dm Am E Am
(Am       Dm      E)
Fumo de rolo arreio e cangalha
Eu tenho tudo pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi pássaro voando em todo lugar
Am            A7               Dm
Tinha uma vendinha no canto da rua
            G7            C
Onde o mangaieiro ia se animar
            F                E
Tomar uma bicada com lambu assado
                     Am
E olhar pra Maria do Joá
(Am     Dm  E)
Cabresto de cavalo e rabichola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Farinha rapadura e graviola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pavio de cadeeiro panela de barro
Menino vou me embora
Tenho que voltar
Xaxar o meu rocado
Que nem boide carro
Alpargata de arrasto não quer me levar
Am                 A7               Dm
Porque tem um Sanfoneiro no canto da rua
         G7                 C
Fazendo floreio pra gente dançar
              F              E
Tem Zefa de purcina fazendo renda
                       Am
E o ronco do fole sem parar
Homenagem à Velha Guarda
Tom: A
Intro: A G F E7 E° E7
A    A5+       Bm   E7
Um chorinho me traz
              A
Muitas recordações
Dm     G  C      C5+  Dm7
Quando o som dos regionais
G            C   Gm7
Invadia os salões
  C7 F Dm              Em7 Am7
E era sempre um clima de festas
             Dm7 G7
Se fazia serestas
                E4 E7
Parando nos portões
                    A
Quando havia os balcões
Db°           Bm7
Sob a luz da Lua
    E7        A   A5+    Bm  E7
E a chama dos lampiões à gás
               A
Clareando os serões
Dm  G   C    C5+     Dm  G7
Sempre com gentis casais
               C   Gm7
Como os anfitriões
C7 F Dm                Em7 Am7
E era uma gente tão honesta
               Dm7   G7
Em casinhas modestas
                  E4  E7
Com seus caramanchões
                A  G#m5-/7
Reunindo os chorões
F#m                Bm
Era uma flauta de prata
            C#7        D7        C#7  F#7
A chorar serenatas, modinhas, canções
                                      F#7 Bm7
Pandeiro, um cavaquinho e dois violões
                                      F#m7
Um bandolim bonito e um violão sete cordas
         G#7     C#7     F#m7 G#m5-/7 C#7
Fazendo desenhos nos bordões
F#m7          Bm7
Um clarinete suave
                  C#7         D7          C#7 F#7
E um trombone no grave a arrastar os corações
                             F#7 Bm
Piano era o do tempo do Odeon
De vez em quando um sax-tenor
       F#m7              G#7        C#7 F#m7 B7 E4 E7
E a abertura do fole imortal do acordeom
 A      A5+    Bm7  E7
Mas já são pra nós
            A
Meras evocações
Dm  G7 C  C5+     Dm   G
Tudo já ficou pra trás
                 C   Gm7
Passou nos carrilhões
C7 F Dm               Em7  Am7
Quase ninguém se manifesta
                  Dm   G7
Pouca coisa hoje resta
                      E4 E7
Lembrando os tempos bons
            A   A Bm5-/7 E7 Am Bm5-/7 E7 Am
Dessas reuniões

 

Partido Clementina de Jesus
Tom: A
A                Bm7
Não vadeia Clementina
    E7            A
Fui feita pra vadiar
          F#7       Bm7
Não vadeia, Clementina
   E7             A             F#7
Fui feita pra vadiar, eu vou...
        Bm7        E7          A           F#7
Vou vadiar, vou vadiar, vou vadiar, eu vou
        Bm7        E7          A
Vou vadiar, vou vadiar, vou vadiar, eu vou
            Bm7
Energia nuclear
  E7             A
O homem subiu à lua
                 A7
É o que se ouve falar
                D
Mas a fome continua
É o progresso, tia Clementina
        D#°      C#m7
Trouxe tanta confusão
    F#7         B7
Um litro de gasolina
        E7           A
Por cem gramas de feijão
                   Bm7
Não vadeia, Clementina...
                        Bm
Cadê o cantar dos passarinhos
   E7                      A
Ar puro não encontro mais não
                    A7
É o preço que o progresso
               D
Paga com a poluição
O homem é civilizado
     D#°                   C#m7
A sociedade é que faz sua imagem
         F#7       B7
Mas tem muito diplomado
       E7            A
Que é pior do que selvagem

 

Senhora das Candeias
Tom: C
C                        Am7
Eu não sou daqui, não sou
          Dm7
Eu sou de lá
             G7
Eu não sou daqui, não sou
          C
Eu sou de lá (2x)
       C   C7
A lua cheia
                 F
Quando bate nas aldeias
     Dm         G7
A menina das candeias
               C
Cirandeia no luar
O seu lamento
        C7         F
Tem um jeito de acalanto
      Dm            G
Que o rio feito um pranto
                   C
Vai levando para o mar
               C7               F
Meu coração é feito de pedra de ouro
       Dm           G7
O meu peito é um tesouro
                   C           G7
Que ninguém pode pegar, eu não sou
C                        Am7
Eu não sou daqui, não sou
          Dm7
Eu sou de lá
             G7
Eu não sou daqui, não sou
          C
Eu sou de lá (2x)
 C       A7           Dm
A noite ficou mais faceira
     G7                      C
Pois dentro da ribeira apareceu
     Am                Dm
Com suas prendas e bordados
                    G7
Seus cabelos tão dourados
Dm    G7           C
Que o sol não conheceu
          C7      F
A menina-moça debutante
      Dm           G7
Que namora pelas fontes
                    C
Que a natureza lhe deu é Oxum
G7  C  A7  Dm  G7
Ê Oxum, ê Oxum
                C
Senhora das candeias
      A7            Dm G7
Que tristeza que me dá
  C             A7             Dm
Saber que suas mãos são tão pequenas
      G            C
Pra matar quem envenena
     G              C             G7
Pra punir que faz o mal, cegar punhal
        C    C7        F
Cegar punhal que fere tanto
        Dm           G7
Pra mostrar que o seu encanto
                C
É uma coisa natural

 

Rancho da Primavera
Tom: F
Intro: Dm7 Am E7 Am7
F7  E7         Am
Não vejo a primavera
    Dm
Já era
              E7
A triste margarida
           Am
A desaparecida
               A7
O pobre beija-flor
              Dm
Que não vejo voar sobre o meu jardim
                 G
Não tem a quem beijar
                  C         E7
Que tristeza sem fim, lá lá iá
     Am                     Dm
Não ouço mais o canto da cigarra ao anoitecer
                    Am   E7
Que saudade que eu tenho
               Am  (A Bm E)
Já nem sinto prazer
      A          F#m      Bm7
Quem fala é um poeta esquecido
            E
Que constrangido
         A   A7
Vive a chorar
 Dm                    Am
Desejo vitalidade às flores
                 F#7
Diminuir minhas dores
       E7  A7
Me alegrar
    Dm7                   Am
Eu quero retomar minha alegria
               E7
Quando raiar o dia
             A#7 A7
Os pássaros cantando
    Dm                Am
O outono que seja benvindo
               E7
Quero viver sorrindo
          Am
E não chorando

 

Sagarana
Tom: C
Intro: (C Bb C Bb)
(C Bb C Bb)
A ver, no em-sido
Pelos campos-claro: estórias
Se deu passado esse caso
Vivência é memória
Nos Gerais
A honra é-que-é-que se apraz
Cada quão
Sabia sua distinção
Vai que foi sobre
Esse era-uma-vez, 'sas passagens
Em beira-riacho
Morava o casal: personagens
Personagens, personagens
A mulher
Tinha o morenês que se quer
Verdeolhar
Dos verdes do verde invejar
            F
Dentro lá deles
            G           C    Bb
Diz-que existia outro gerais
(C Bb C Bb)
Quem o qual, dono seu
Esse era erroso, no à-ponto-de ser feliz demais
          Am                Dm     Am
Ao que a vida, no bem e no mal dividida
           F7         G4      G#7  G7
Um dia ela dá o que faltou... ô, ô, ô...
(C Bb C Bb)
É buriti, buritizais
É o batuque corrido dos gerais
O que aprendi, o que aprenderás
Que nas veredas por em-redor sagarana
Uma coisa e o alto bom-buriti
Outra coisa é o buritirana...
(C Bb C Bb)
A pois que houve
No tempo das luas bonitas
Um moço êveio:
- Viola enfeitada de fitas
Vinha atrás
De uns dias para descanso e paz
Galardão:
- Mississo-redó: Falanfão
No-que: "-se abanque..."
Que ele deu nos óio o verdêjo
Foi se afogando
Pensou que foi mar, foi desejo...
Era ardor
Doidava de verde o verdor
E o rapaz quis logo querer os gerais
           F
E a dona deles:
                    G         C  Bb
"-Que sim", que ela disse verdeal
(C Bb C Bb)
Quem o qual, dono seu
Vendo as olhâncias, no avôo virou bicho-animal:
               Am
- Cresceu nas facas:
           Dm            Am
- O moço ficou sem ser macho
              F7      G6     G#7 G7
E a moça ser verde ficou... ô, ô, ô...
(C Bb C Bb)
É buriti, buritizais
É o batuque corrido dos gerais
O que aprendi, o que aprenderás
Que nas veredas por em-redor sagarana
Uma coisa e o alto bom-buriti
Outra coisa é o buritirana...
       Bb               C
Quem quiser que cante outra
       Bb        C
Mas à-moda dos gerais
    Bb            C
Buriti: rei das veredas
      D           C
Guimarães: buritizais!

 

Perdão
Tom: Am
Intro: Am Am7+ Am7 D Dm E7
Am  Am/G  Dm Bm5-/7
Ai, perdão
E7                    Am D E7
Venha ao encontro de mim
Am   Am/G      F7
Já ando necessitado
                  Bm5-/7
De também ser perdoado
     E7               Am         Bm5-/7 E7
Para dar o perdão no fim, ai perdão (2x)
G7                     C   A7
Nesse mundo todo mundo erra
                      Dm          B7
Jesus Cristo quando andou na terra
                    E7
Não errou mas foi sacrificado
   Bm5-/7 E7         Am Am/G
E clamou por todos nós
   Dm Bm5-/7
Perdão
E7                   Am Bm5-/7 E7 Am
E eu vou tentar se assim
       Am/G        F7
Pois perdoando o pecado
               Bm5-/7
Eu posso ser perdoado
    E7               Am
Se sobrar perdão pra mim

 

Coisa da Antiga
Tom: E
E       C#m          F#m
Na tina, vovó lavou, vovó lavou
  B7                                    E
A roupa que mamãe vestiu quando foi batizada
B7   E                C#m             F#m
E mamãe quando era menina teve que passar, teve que passar
B7                                 E
Muita fumaça e calor no ferro de engomar
B7 E           C#7       F#
Hoje mamãe me falou de vovó só de vovó
B7                      E          B7
Disse que no tempo dela era bem melhor
                  C#7                  F#
Mesmo agachada na tina e soprando no ferro de carvão
B7                       E             B7
Tinha-se mais amizade e mais consideração
                   C#7                   F#
Disse que naquele tempo a palafra de um mero cidadão
 B7                             E          B7
Valia mais que hoje em dia uma nota de milhão
 E                     C#7
Disse afinal que o que é de verdade
     F#
Ninguém mais hoje liga
          A  B7    E           B7
Isso é coisa da antiga, ai no tina...
  E              C#7                 F#
Hoje o olhar de mamãe marejou só marejou
  B7                          E        B7
Quando se lembrou do velho, o meu bisavô
 E                   C#7                  F#
Disse que ele foi escravo mas não se entregou à escravidão
 B7                          E         B7
Sempre vivia fugindo e arrumando confusão
E                         C#7            F#
Disse pra mim que essa história do meu bisavô, negro fujão
 B7                               E          B7
Devia servir de exemplo a "esses nego pai João"
E                      C#7
Disse afinal que o que é de verdade
     F#
Ninguém mais hoje liga
       A      B7   E
Isso é coisa da antiga
 B7
Oi na tina...

 

À Flor da Pele
Tom: Gm
Intro: Gm Gm7+ Gm7 C7/9 Eb7/9 Gm7 G#7+ 
Gm Gm7+ Gm7 C7/9 A° D7
    Gm   Gm7+             Gm7  C7/9
Não sei como ou quando começou
                 Eb7/9 D7
Só sei que me alucina
    Gm      Gm7+    Gm7 C7/9
Me perdi do fio condutor
               Eb7/9 D7
Do amor que me domina
   G7
E você me usa a seu favor
       Cm
Igual a mulher de esquina
       A7
E me leva embora traidor
          Eb7/9  D7
Assim que se termina
Gm           Gm7+         Gm7 C7/9
Mas se você quer eu logo vou
           Eb7/9 D7
Sabendo da rotina
      Gm     Gm7+        Gm7 C7/9
Despencamos sobre o cobertor
            Eb7/9 D7
Devasso e libertina
G7
Me diz coisas feias e de amor
            Cm
À luz da lamparina
     A7
Me devora o corpo sedutor
       Eb7/9    D7
Igual fera assassina
  Gm         Gm7+       Gm7 C7/9
E você me arrasta nessa dor
                    Eb7/9 D7
Que aos poucos me arruína
     Gm      Gm7+          Gm7 C7/9
Ando já com meus nervos à flor
           Eb7/9 D7
Da pele já mofina
G7
Tenho olheiras fundas e palor
                   Cm
De álcool e de nicotina
 A7
Minhas noites durmo com pavor
            Eb7/9 D7
À base de aspirina
G7
Sei que estou secando ao seu dispor
Cm
Sei que estou ficando sem valor
A°                          D7
Sei que você vai sumir e eu vou
      Gm
Vou cumprir minha sina
Bb7 Eb7/9 D7               Gm
Ah, ah, vou cumprir minha sina
Meu Sapato Já Furou
Tom: A
                 A
Meu sapato já furou
Minha roupa já rasgou
                       E
E eu não tenho onde morar
(onde morar)
                Bm
Meu dinheiro acabou
       Bm7+         Bm7
Eu não sei pra onde vou
     E               A     E
Como é que eu vou ficar
               A
(que eu vou ficar)
Eu não sei nem mais sorrir
                  F#7
Meu amor me abandonou
                   Bm
Sem motivo e sem razão
            E              A       F#7
E pra melhorar minha situação
          Bm              E     A
Eu fiz promessa pra São Luís Durão
        E         A
(Meu sapato já furou)
Bm               E
Quem me vê assim
 A           E
Deve até pensar
            A
Que eu cheguei ao fim
     A7                      Bm
Mas quando a minha vida melhorar
          B7              E      A
Eu vou zombar de quem sorriu de mim
        E         A
(Meu sapato já furou)

 

Portela na Avenida
Tom :Am
   Am                          G
PORTELA EU NUNCA VI COISA MAIS BELA
                       F                         E7
QUANDO ELA PISA A PASSARELA E VAI ENTRANDO NA AVENIDA
  Am                      G
PARECE A MARAVILHA DE AQUARELA QUE SURGIU
                     F
O MANTO AZUL DA PADROEIRA DO BRASIL
                   E7
NOSSA SENHORA APARECIDA
    Dm       Bm5-/7 Am                       Bm5-/7
QUE VAI SE     ARRASTANDO E O POVO NA RUA CANTANDO
E7                       Am
É FEITO UMA REZA, UM RITUAL
    A7           Dm          Am                B7   E7   Am    E7
É A PROCISSÃO DO SAMBA ABENÇOANDO A FESTA DO DIVINO CARNAVAL
   Am                                  G
PORTELA É A DEUSA DO SAMBA O PASSADO REVELA
                               F
E TEM A VELHA GUARDA COMO SENTINELA
                                         E7
E É POR ISSO QUE EU OUÇO ESSA VOZ QUE ME CHAMA
   Am                                    G
PORTELA SOBRE A TUA BANDEIRA ESTE DIVINO MANTO
                              F        E7        Am
TUA ÁGUIA ALTANEIRA, ESPÍRITO SANTO NO TEMPLO DO SAMBA
G7                  C
AS PASTORAS E OS PASTORES
G7                C
VEM CHEGANDO DA CIDADE DA FAVELA
G7                    C
PARA DEFENDER AS TUAS CORES
       B7                      E7
COMO FIÉIS NA SANTA MISSA DA CAPELA
A7      Dm             E7           Am
SALVE O SAMBA, SALVE A SANTA, SALVE ELA
A7      Dm           E7           Am
SALVE O MANTO AZUL E BRANCO DA PORTELA
                Dm            G7          C      E7
DESFILANDO TRIUNFAL SOBRE O ALTAR DO CARNAVAL
Conto de Areia
Tom: C6/9
C6/9                    F6         G7    C6/9
É água no mar, é maré cheia ô, mareia ô mareia, é água no mar
C6/9                    F6     G7       C6/9
É água no mar é maré cheia ô mareia ô mareia
                    A7              Dm
Contam que toda tristeza que tem na Bahia
 G7                                    C6/9
Nasceu de uns olhos morenos molhados de mar
                       A7              Dm
Não sei se é conto de areia ou se é fantasia
               G7                       C6/9
Que a luz da candeia alumia pra gente contar
                   A7                 Dm
Um dia a morena enfeitada de rosas e rendas
  G7                                   C6/9
Abriu seu sorriso de moça e pediu pra dançar
                       A7                   Dm
A noite emprestou as estrelas bordadas de prata
                 G7                    C6/9
E as águas de Amaralina eram gotas de luar
             A7/9-           Dm
Era um peito só cheio de promessa era só
             G7               C6/9
Era um peito só cheio de promessa era só
     A7                Dm           G7        C6/9
Quem foi que mandou o seu amor se fazer de canoeiro
             A7        Dm     G7         C6/9
O vento que rola nas palmas arrasta o veleiro
            A7        Dm  G7    C6/9
E leva pro meio das águas de Iemanjá
            A7        Dm                 G7             C6/9
E o mestre valente vagueia olhando pra areia sem poder chegar
       G7    C6/9 A7/9-    Dm       G7                         C6/9
Adeus amor, adeus meu amor não me espere porque eu já vou me embora
               A7/9-       Dm      G7        C6/9
Pro reino que esconde os tesouros de minha senhora
         A7/9-      Dm     G7       C6/9
Desfia colares de conchas pra vida passar
           A7/9-       Dm
E deixa de olhar pro veleiro
          G7                    C6/9
Adeus meu amor eu não vou mais voltar
          Dm   G7         C6/9
Foi beira-mar, foi beira-mar quem chamou
A7        Dm     G7      C6/9
Foi beira-mar ê, foi beira-mar

                                                    
Umas e Outras
Tom: Gm
Gm                  A5b      D#º             Gm
Se uma nunca tem sorriso, é pra melhor se reservar
                     Dm7      A7             D4/7 D7
E diz que espera o paraíso e a hora de desabafar
    G7                 Cm7        F6/7              A#7+  D7/9-
A vida é feita de um rosário que custa tanto a se acabar
     Gm      A#7       D#7+   A6/7     A5+/7      D7/9  D7/9-
Por isso às vezes ela pára e senta um pouco pra chorar
Gm Gº F#º
Que dia! 
Gm7                   C7/9
Nossa, pra que tanta conta
             Gm7            D4/7 D7
Já perdi a conta de tanto rezar
       Gm            A5b      D#º                     Gm Gm7b Gm6b
Se a outra não tem paraíso, não dá muita importância, não
                       Dm7      A7               D4/7 D7
Pois já forjou o seu sorriso e fez do mesmo profissão
    G7                  Cm7    F6/7                A#7+  D7/9-
A vida é sempre aquela dança aonde não se escolhe o par
     Gm      A#7       D#7+   A6/7     A5+/7      D7/9  D7/9-
Por isso às vezes ela cansa e senta um pouco pra chorar
Gm Gº F#º
Que dia! 
Gm7             C7/9
Puxa, que vida danada
             Gm7            D4/7 D7
Tem tanta calçada pra se caminhar
       Gm          A5b      D#º                     Gm
Mas toda santa madrugada quando uma já sonhou com Deus
                       Dm7      A7                     D4/7 D7
E a outra, triste namorada, coitada, já deitou com os seus
    G7                    Cm7      F6/7                A#7+  D7/9-
O acaso faz com que essas duas, que a sorte sempre separou
     Gm        A#7   D#7+   A6/7     A5+/7      D7/9  D7/9-
Se cruzem pela mesma rua olhando-se com a mesma dor
Gm Gº F#º
Que dia!
Gm7             C7/9             Gm7             D4/7 D7
Puxa, que vida danada é tanta calçada pra se caminhar
Gm Gº F#º
Que Dia!
Gm7                   C7/9            Gm7             D4/7 D7
Nossa pra que tanta conta, já perdi a conta de tanto rezar
Gm Gº F#º
Que dia!
Gm7               C7/9                  Gm7     D4/7 D7   Gm
Puxa, que vida comprida, pra que tanta vida pra gente desanimar

 

BACK | RELOAD | FORWARD